[Livro] O Almanaque de Naval Ravikant

Sobre minhas recomendações de leitura.

Começando hoje uma nova categoria de postagem aqui no blog, a pedido de alguns amigos que me acompanham pelo Instagram. Eu comecei a postar recomendações de livros nos meus stories, algumas citações de livros que eu tenho lido, e meu sumário informal sobre cada um deles. Algumas pessoas me pediram para criar uma sessão de destaques no Instagram com todos esses stories. Eu gostei da ideia, e resolvi dar um passo a mais: vou postar aqui no blog sobre os livros que eu leio, minha opinião sobre eles, citações, etc. Dessa forma, fica tudo organizadinho aqui e de uma forma atemporal – em qualquer momento do futuro, alguém pode voltar aqui e checar novamente as minhas recomendações. Sendo assim, vamos começar?

Contextualizando o autor na minha vida.

O primeiro livro que vou recomendar é mais que especial na minha vida: O Almanaque de Naval Ravikant. Antes de falar sobre ele, vou destacar uma coisa muito importante: esse livro é gratuito, e tem versão autorizada em português nesse link aqui. Você pode baixar nos formatos mais comuns (PDF, Kindle, etc.) ou ler direto através do website mesmo. Legal demais, né?

Também acho importante contextualizar o autor Naval Ravikant na minha vida antes de falar sobre o livro. Para quem não conhece, “Naval é dos pensadores que conseguem integrar a sabedoria obtida através da filosofia e a capacidade de entender novas tecnologias, estando sempre um passo à frente dos movimentos da sociedade.” Roubei essa descrição do site do livro. E como eu passei a me interessar por ele? Foi tudo graças à pandemia, que apesar de ter causado tantos problemas para tanta gente, na minha vida foi uma verdadeira bênção que mudou tudo para melhor permanentemente. No começo de 2020, eu assisti ao podcast do Joe Rogan com o Naval Ravikant. Botei o link aí para quem quiser assistir, são duas horas que podem mudar a sua vida (mas tem que entender inglês).

Eu assisto todos os podcasts do Joe Rogan, mas raramente algum mexe comigo – esse do Naval, mexeu totalmente! Foi uma porrada atrás da outra, parecia que todas as programações do meu cérebro estavam sendo desconstruídas por esse cara que até então eu nem conhecia!

“Eu não me importo com o quão rico você é. Não me importa se você é um grande banqueiro de Wall Street… se alguém tem que dizer quando você deve estar no trabalho, o que deve vestir no trabalho, e como deve se comportar no trabalho, então você não é uma pessoa livre. Você não é realmente rico.” Frases assim me tocaram bastante, porque é como eu interpreto muito do que o meu pai sempre disse também – meu pai deixou de fechar muitos negócios na vida porque teria que ir a alguma reunião e vestir paletó e gravata, algo que ele odeia. Fez diferença? Só para o melhor!

“Para mim, paz é felicidade em repouso, e felicidade é paz em movimento. Você pode converter paz em felicidade sempre que quiser.” Isso me marcou bastante também. Então felicidade é como uma habilidade treinável? E acontece que sim, e a maioria não sabe disso. Ele elabora muito bem essa ideia e como deve ser feito e encarado. “Se você for inteligente, deve ser capaz de descobrir como ser feliz. Caso contrário, você não é tão inteligente assim.”

Enfim, eu fiz uma série de anotações durante as duas horas de podcast, comecei a seguir o Naval no Twitter, peguei as recomendações de livros dele e comprei uma pilha de livros, e passei a me aprofundar mais em cada coisa que ele dizia. Eventualmente, publicaram esse livro que eu tô apresentando a vocês hoje: O Almanaque de Naval Ravikant, que é uma coletânea dos melhores pensamentos de Naval Ravikant organizados em um livro. Essa seria a minha maior recomendação para introduzir novas pessoas ao Naval – comece por aqui.

Finalmente, vamos ao livro!

Uma das coisas que eu mais gosto no Naval é que ele não usa palavras inúteis. Ele é sempre sucinto. Se precisar de muitas palavras para explicar, então ele já considera que a ideia não é boa – melhor esquecer. Ele tem esse dom de colocar em pouquíssimos caracteres o que a maioria das pessoas levariam páginas para elaborar. Resultado disso é que um livro curto como esse, que reúne os melhores pensamentos do Naval, te oferece conhecimento equivalente a ler uns 100 livros de outros autores. É bom para quem é preguiçoso, e melhor ainda para quem tem curiosidade de aprender.

O livro abrange áreas variadas como Educação, Negócios, Mercado de Trabalho, Economia, Tecnologia, e Filosofia. Você aprende um monte sobre todas essas coisas, e percebe como todas elas são absolutamente conectadas – algo que nossa vida atual, de focar em especializações, nos priva de entender.

Se a primeira parte do livro não prender a sua atenção, então você não está apto a ler o livro – simples assim, não tem como ser fofinho e politicamente correto sobre isso. Ela se chama “Entenda como a riqueza é criada”, e basicamente se resume a dois conceitos: como ficar rico sem ter sorte, e ganhar dinheiro não é uma coisa que se faz, mas sim uma habilidade que se aprende.

Para mim, a parte mais importante de tudo nessa questão é como ele descreve que o seu sucesso financeiro é diretamente ligado a você fazer algo que você gosta de fazer, e por gostar faz melhor do que os outros. Quanta gente não trabalha em coisas que odeiam? Seguem profissões porque a família pressiona, ou escolhem trabalhos baseado em quanto receberão de salário e os benefícios, essas coisas… isso é o oposto do que deve ser feito, e a receita do insucesso. Como Naval diz, “ninguém pode competir com você em ser você. A maior parte da vida é uma busca por quem e o que mais precisa de você.” É exatamente isso! Se você está sendo você, e fazendo o que você realmente ama fazer, quem vai ser capaz de fazer melhor do que você? Certamente não vai ser o cara que só pegou o trabalho pensando em quanto ele iria ganhar!

Outro pensamento que eu amei demais é: “Todos os retornos na vida, seja em riqueza, relacionamentos ou conhecimento, vêm do juro composto.” Não poderia ser mais verdade! Quem não percebeu que todas as pessoas imediatistas e sem planejamento de longo termo sempre se dão mal, não importa se for em dinheiro, relacionamentos… qualquer coisa? É sempre assim. Quem pensa pequeno, recebe pequeno. Quem pula de paixão em paixão, seja por trabalhos, hobbies ou amores, nunca evolui desse ponto de pular de paixão em paixão, e geralmente esse padrão de falta de continuidade é visto em todas as áreas da vida da pessoa. Hoje em dia, em que tem essa moda fútil, irresponsável e egoísta de “eu me permito” e “eu vivo o hoje como se o amanhã não existisse”, tem mais e mais gente se condenando por esse caminho e menos e menos gente com capacidade de dizer claramente para a pessoa: “isso é cagada!”

É como o Naval explica: “Quando você encontrar a coisa certa a fazer, quando você encontrar as pessoas certas para trabalhar, invista profundamente. Permanecer com eles por décadas é realmente como você faz os grandes retornos em seus relacionamentos e em seu dinheiro.” E um pouco mais tarde, ele usa a mesma linha de raciocínio para falar de relacionamentos amorosos: “Quando você está namorando, no momento em que você sabe que este relacionamento não vai ser o que vai levar ao casamento, você provavelmente deveria deixar isso pra lá e seguir a sua vida”. Você percebe que a mesma receita do sucesso (ou insucesso) na profissão também vale para seus relacionamentos amorosos, e isso é algo que os pensamentos moderninhos de hoje esconderam das pessoas. Quem não viu alguém falar sobre foco na carreira e foco nos relacionamentos como se fossem coisas separadas, ou até conflitantes? Esse é mais um pensamento aceito por muitos, mas totalmente infundado, e que só leva a resultados infelizes.

Outra parte que eu acho totalmente necessária do modo como o Naval entende o mundo é a visão dele sobre investimentos e como ganhar dinheiro com trabalho é uma mentira que 99% das pessoas aceitaram sem questionar. Ele não fala isso diretamente, mas é como eu entendo o que ele diz. De fato, trabalho não leva a liberdade financeira. Trabalho, em resumo, é você trocar parte da sua liberdade (horas que poderia fazer o que quisesse) por algum dinheiro. Sem a troca das suas horas de liberdade, esse dinheiro não existe, ou seja: é impossível ter liberdade financeira trabalhando. O único jeito é tendo investimentos – sendo dono de alguma empresa, ou dono de cotas de alguma empresa, etc. Naval explica assim: “Normalmente, a verdadeira riqueza é criada ao iniciar suas próprias empresas ou mesmo ao investir. Em uma empresa de investimento, eles estão comprando ações. Estas são as rotas para a riqueza. Ela não vem com o passar das horas.” E também: “Você tem que trabalhar até o ponto em que possa ter participação societária em um negócio. Você pode possuir participação como um pequeno acionista onde você comprou ações. Você também pode ser dono da empresa, onde você iniciou a empresa. A propriedade é realmente importante.” Em outras palavras: trabalhar é necessário, mas o objetivo deve ser trabalhar menos e menos a cada ano, e se tornar dono de algum negócio cada vez mais – para que fique claro, quando ele fala em ser dono de algum negócio, ele quer dizer comprar ações de alguma empresa na bolsa de valores. Qual empresa do mundo você ama e admira? Apple? Você pode ser um dos pequenos donos da Apple hoje mesmo, comprando ações dela. Com o passar dos anos, você pode ir se tornando um pequeno dono cada vez maior, e você terá uma proporção maior da Apple trabalhando para você, ao invés de você trocar a sua liberdade por dinheiro com algum trabalho.

Ainda falando sobre trabalho, é impressionante como as pessoas estão alienadas dos perigos que virão pela frente nos próximos anos com a automação e robotização da maioria das funções que trabalhadores exercem hoje. Naval não abrange isso diretamente, mas me fez pensar sobre isso quando escreveu que “se eles podem treinar você para fazer algo, então eventualmente treinarão um computador para fazer isso.” É isso que tem acontecido, e é um caminho sem volta que vai afetar a todos nos próximos anos. “Siga sua curiosidade intelectual mais do que tudo o que está ‘quente’ neste momento. Se sua curiosidade o levar a um lugar onde a sociedade eventualmente queira ir, você será muito bem pago. É mais provável que você tenha habilidades que a sociedade ainda não saiba como treinar outras pessoas para fazer. Se alguém pode treinar outras pessoas para fazer algo, então pode substituí-lo. Se eles podem substituí-lo, então eles não precisam pagar muito. Você quer saber como fazer algo que outras pessoas não sabem como fazer no período em que essas habilidades são solicitadas.” Em outras palavras, a cada dia que você perde não seguindo o seu dom natural e se dedicando a algo que você ama fazer e faz bem, você está aumentando as chances de algum computador te substituir amanhã. Quantas profissões que existem hoje deixarão de existir em 10 anos? Milhares. Quantas pessoas ficarão sem emprego porque não entenderam o que estava acontecendo até afetá-las diretamente? Milhões. Não seja uma dessas pessoas. Aprenda como se precaver disso, esteja preparado!

Nessas armadilhas da vida de trabalho e dinheiro, outra coisa importante de entender e se proteger é dos jogos de status. Naval diz: “Criação de riqueza é um jogo evolucionário recente de soma positiva. Status é um antigo jogo de soma zero. Aqueles que atacam a criação de riqueza muitas vezes estão apenas buscando status.” E é bem assim mesmo. Status é um jogo de soma zero. Ninguém ganha nada, não soma nada. Mas criação de riqueza – isso sim, ninguém sai perdendo. O dinheiro não vai resolver todos os seus problemas, mas vai resolver todos os seus problemas de dinheiro, e quando isso acontece você percebe que seus problemas não são realmente grandes problemas. Minha recomendação? Afaste-se de pessoas que dizem que “dinheiro não é importante.” Essas são as pessoas que passam mais tempo pensando sobre dinheiro. São mais escravas do pensamento de dinheiro do que qualquer bilionário que exista. São pessoas que preferem nivelar o mundo por baixo do que ter coragem e dedicação para subir. Pessoas assim brincam de status – é fofinho dizer que dinheiro não é importante. O que você quer é criar riqueza, e não brincar de status!

Mais à diante no livro, Naval se aprofunda no que ele chama de construir discernimento. É uma parte muito importante do livro – saber separar o que vale a pena do que não vale. Em um exemplo disso, ele diz: “Você não fica rico gastando seu tempo para economizar dinheiro. Você fica rico economizando seu tempo para ganhar dinheiro.” Em outras palavras, é necessário entender que economizar o seu tempo trabalhando menos é o que abre na sua mente a possibilidade de pensar sobre outras formas de ganhar dinheiro, algo que seria impossível de fazer se você está super ocupado na correria todos os dias, só repetindo um dia após o outro. O trabalho árduo é realmente superestimado hoje em dia. É resquício da Revolução Industrial, e não se aplica mais ao mundo de hoje. Pensa bem: você conhece alguém rico e com a vida boa que tenha dois ou três empregos e vive na correria? Não, é impossível. Essa pessoa trocou o seu bem de maior valor (o seu tempo livre) por correrias que pagam em dinheiro, e ao fazer isso, condenou a sua chance de escapar dessa armadilha e ganhar muito mais fazendo muito menos. Ou seja: “o discernimento é subestimado” enquanto trabalhar bastante é superestimado.

Outra questão importante falando de discernimento: “O que você sente não lhe diz nada sobre os fatos – apenas lhe diz algo sobre sua estimativa dos fatos.” Em outras palavras, cuidado com os seus sentimentos e opiniões e com como eles podem definir a sua percepção sobre as coisas. Cuidado com as ideias que você bota na cabeça, pois você tende a reproduzir isso no que acontece ao seu redor. O exemplo típico é aquela menina que quer ser despedida e começa a plantar na cabeça dos outros funcionários que “o chefe é machista” e não sei quem “ganha mais do que a gente só porque é homem.” A pessoa que foi por esse caminho vai de fato presenciar injustiças do machismo em tudo dentro da empresa – e na maioria das vezes, vai deixar de ver o que realmente está acontecendo. Não, aquele cara ganha mais que você porque no mesmo período de 6 meses ele produziu 20% a mais que você. Super comum, independente de sexo (foi só um exemplo que eu já vi). Saiba discernir o que te engrandece e o que te diminui e te faz ser pior – esse é o recado!

Como você pode construir esse discernimento? Não tem outro jeito: leia muito! Quanto a isso, Naval diz: “Ler ciência, matemática e filosofia uma hora por dia provavelmente o colocará no escalão superior do sucesso humano dentro de sete anos.” Aí está uma receita infalível do sucesso e fácil de fazer para qualquer pessoa. Sabe aquela hora que você ficou vendo Reels no Instagram? Esquece isso, pega um livro impactante e vai ler. Me agradeça (e ao Naval) em alguns anos. Eu aposto que a sua vida estará totalmente diferente, e muito melhor. É o segredo do discernimento para tudo na vida! Ah, mas não se esqueça: “se foi escrito para ganhar dinheiro, não leia.” Esse deve ser o seu medidor do que é válido ler ou não, mas não confunda as coisas – não quer dizer que se o autor ganhou dinheiro, que isso invalida o que ele escreveu. Muito pelo contrário! Harry Potter não foi escrito por dinheiro, tem muita coisa maior do que isso por trás da intenção da autora, mas ainda assim ela ganhou dinheiro – e muito! Saiba discernir.

Mais pra frente no livro, temos a frase que eu mais admiro do Naval: “Uma mente calma, um corpo em forma e uma casa cheia de amor. Estas coisas não podem ser compradas. Elas devem ser merecidas.” Eu queria isso escrito em uma placa para colocar em casa – aliás, sugestão de presente! Em pouquíssimas palavras, ele resume tudo que você deve buscar nessa vida. É o segredo do sucesso em tudo, e a garantia do estado de felicidade. Você não herda nada disso. Você constrói. Está tudo nas suas mãos, e depende inteiramente de você. Tem algo melhor?

Para concluir.

Bom, pensei que seria um post bem menor e mais sucinto. Acabei escrevendo um montão aqui, me perdi com a minha empolgação, mas adorei a experiência – valeu a pena!

Eu teria mais horas de escrever sobre esse livro, centenas de citações para mencionar e pensar sobre, mas acho que deu para comunicar o valor do livro para vocês – essa era a missão! Agora, quem quiser saber mais, eu super recomendo ler aos poucos e internalizar os conceitos e ver como eles se aplicam na sua história de vida. Vai ser diferente para cada um.

Espero que tenham gostado. Para mim, foi uma honra começar essa categoria de post com esse livro.

4 comentários sobre “[Livro] O Almanaque de Naval Ravikant

  1. Adorei toda a explanação sobre o livro recomendado de Naval e muito mais além as observações que você fez sobre tudo que tem aprendido com isso, pois, faz com que outras pessoas se sintam encorajadas de começar uma boa leitura e por em prática todo o aprendizado. Muito bem e parabéns pelas palavras 👏🏻👏🏻👏🏻

    Curtido por 1 pessoa

  2. Amei o que voce escreveu. Muito claro e com excelentes exemplos. E a gente precisa abrir a mente mesmo. E lendo coisas “boas” sem dúvida é uma forma de alcançar isso. Continue escrevendo, essa é outra forma bem legal de compartilhar coisas importantes na vida, em um momento que tudo é tão bobo e medíocre.
    Bjs,

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s